evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama evden eve nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama nakliyat şişli evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat istanbul evden eve nakliyat nakliyat nakliyat firmaları nakliye depolama istanbul evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat

evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama evden eve nakliyat

evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama evden eve nakliyat

evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama evden eve nakliyat Riot Brasil admite erros no caso RED Canids: "Pisamos na bola"

Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Riot Brasil admite erros no caso RED Canids: "Pisamos na bola"

evden eve nakliyat evden eve nakliyat nakliyat istanbul evden eve nakliyat depolama evden eve nakliyat

Riot Brasil admite erros no caso RED Canids: "Pisamos na bola"

Depois de investigar e punir os times de League of Legends INTZ e RED Canids, a Riot Games Brasil admitiu que errou em permitir a transação entre as organizações. Em comunicado nesta quarta-feira (13), o gerente sênior de e-sports da empresa, Fábio Massuda, admitiu que as regras impostas para o desvínculo das equipes-irmãs tinham falhas e serão reformuladas.

"Me sinto muito mal, porque pisamos na bola duas vezes e isso gerou um baita problema", escreveu Fábio. De acordo com o executivo, o primeiro erro da empresa foi ter deixado o texto do regulamento com brechas.

"Apesar dos vínculos entre INTZ e RED Canids irem contra o espírito da regra, eles não estavam detalhadamente descritos nela. Vale ressaltar que, como dissemos em comunicado, iremos revisá-la para protegermos ainda mais o campeonato", contou, acrescentando que a Riot sempre "pautou seus relacionamentos com base na integridade e na boa fé". Isso "significa que, desde o início de um relacionamento, a gente sempre tenta acreditar e confiar em todos".

fabio-massuda-riotgames-divulgacaoFábio Massuda admite erro e Riot irá reformular regra das equipes irmãs (Foto: Divulgação)

Fábio disse ainda que a Riot errou pela segunda vez ao permitir a inscrição da RED Canids sem que a organização apresentasse todos os detalhes de seu registro. "A RED Canids enviou sua inscrição no dia 15/12, declarando razão social, CNPJ e diretor responsável, porém sem o quadro societário. Assim como em toda a metade final de 2015, foi nos dito que 'investidores anônimos' seriam os donos do time e que seriam revelados em breve. Num espírito de boa fé, por acreditar que não haveria um problema no quadro societário, aceitamos inicialmente a inscrição", explicou.

MyCNB e Omelete revelaram, na semana passada, que os sócios do RED Canids são parentes dos donos do INTZ. Dinara Guzairova é namorada de Lucas Almeida Simon, e Luan Rodrigo Florencio de Almeida é filho de Rogério Rodrigues de Almeida, o "Formiga". Os quatro foram suspensos por um ano de todas as atividades ligadas aos e-sports.

"Foi a segunda pisada na bola, porque deveríamos ter impedido a inscrição, e pedido e avaliado os quadros societários de todas as equipes, mas confiamos que não haveria problemas", disse a Riot. No início da polêmica, o gerente de e-sports da Riot brasileira, Philipe "PH Suman" Monteiro, chegou a dizer ao site Omelete que INTZ e RED Canids estavam cumprindo o regulamento, inclusive no que se referia ao quadro de sócios.

Diante da situação, cinco times do Campeonato Brasileiro (CBLoL) 2016 ameaçaram não participar da competição se o caso não fosse apurado e os envolvidos, punidos. Os clubes ainda não se pronunciaram após a punição imposta a INTZ e RED Canids.

Para finalizar, Fábio pediu desculpas e ressaltou que as últimas semanas foram as mais difíceis de todos os 15 anos de carreira. "Na evolução de engatinhar-andar-correr, a gente tropeça às vezes. Cai, se machuca. Mas sem isso, a gente não cresce. E temos certeza que, por mais que algumas decisões sejam doloridas, a gente quer continuar investindo muito em e-sports e ver esse cenário evoluir cada vez mais". 

Caso Loop e paiN

O gerente de e-sports também se pronunciou sobre o caso de aliciamento envolvendo o ex-Support do INTZ Caio "Loop" Almeida e o paiN Gaming, revelado com exclusividade pelo MyCNB em dezembro do ano passado.

Após investigação, a Riot Games Brasil puniu o paiN, que perderá o dinheiro da premiação do 1º Split do CBLoL 2016, independentemente da colocação final, e dos direitos de uso de imagem. Desta forma, os jogadores da organização seriam lesados, entretanto, Fábio revelou que a Riot passará o dinheiro direto para os cyber-atletas, assim como decretou na punição para INTZ. Em entrevista à ESPN, o dono do paiN, Arthur "Paada" Zarzur, negou o aliciamento e disse que iria recorrer da punição.

"Como os jogadores da paiN nada têm a ver com o caso também, toda a premiação e direitos de imagem que forem retirados da paiN na Primeira Etapa serão repassados aos jogadores. Já havíamos informado isso à paiN anteriormente e vamos esclarecer melhor no comunicado da punição no nosso site", disse.

Quando anunciou a punição para o paiN, o atual campeão brasileiro, a Riot Brasil não divulgou provas, como, aliás, é de praxe da empresa, apesar de garantir que investigou e comprovou o aliciamento. A comunidade criticou a empresa e cobrou que a provas se tornassem públicas.

"Para a Riot, não resta dúvida de que houve uma infração dessa regra [de aliciamento] por parte da paiN. Por que a gente puniria um time sem provas, correndo o risco de haver um processo legal contra a gente? Como eu escrevi, não tomamos decisões sem convicção e sem provas contundentes. Por que a Riot puniria o time mais popular do Brasil e o que teve a melhor performance em um Mundial? Não quisemos punir. Tivemos que punir", pontuou.

De acordo com Fábio, a empresa não divulga provas para preservar as pessoas envolvidas. "Adoraríamos poder mostrar todos os detalhes e as provas (isso nos evitaria um bombardeio de críticas e dúvidas), mas temos que preservar as pessoas", destacou, acrescentando que todas as decisões são tomadas por um grupo de sete pessoas, rioters do Brasil e dos Estados Unidos. 


Veja também:


Tags: League of legends, intz red, red canids